Acervo Especial
1994
BMG Ariola

1. Pelas ruas do Recife (Marcos Vale – Paulo Sérgio Vale – Novelli)

2. Frevo nº1 do Recife – Frevo nº3 do Recife – Evocação (Antonio Maria - Nelson Ferreira)

3. Coisa da Gente (Waltinho - Roberto Andrade – Sérgio Andrade)

4. Aquela Rosa (Geraldo Azevedo – Carlos Fernando)

5. Pitomba, Pitombeira (Paulo Fernando)

6. Frevo da Primavera (Toinho Alves) / Instrumental

7. Viva o Recife (Sergio Andrade - Zezinho Franco)

8. Hino do Elefante de Olinda – Bloco da Vitória – Hino da Pitombeira
(Nigro e Clóvis Vieira - Nelson Ferreira - Alex Caldas)

9. Hino dos Batutas de São José (João Santiago)

10. Carabina (Luiz Bandeira) / Instrumental

11. Lua Nossa (Waltinho – Roberto Andrade)

12. Vassourinha/Fogão/Freio a Óleo
(Matias da Rocha - Joana Batista Ramos - Sérgio Lisboa - José Menezes) / Instrumental

13. Nos cabelos da Rosinha (Capiba)

14. É de fazer chorar (Luiz Bandeira)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

1. Pelas ruas do Recife
(Marcos Vale – Paulo Sérgio Vale – Novelli)

Pelas ruas do Recife todo ano tem
Quatro dias de folia e alegria tem
Pra mostrar que frevo e animação
Marcam passo no compasso
Do mesmo cordão
Quem não dança bate palmas
Pra quem desfilar
Bate bumbo e bate-bate de maracujá
Tem maracatu e bumba meu boi
Quatro espadas no reizado todo mundo foi
Tem um corso entre cores e sombrinhas
La vem as pastorinhas o canto é geral
No clube a noite a primeira mascarada
Pode ser a namorada desse carnaval
La pras tantas o dia já nascendo
O frevo já morrendo e ninguém quer descansar
Mas no domingo pra satisfação do povo
Tudo começa de novo e o frevo vai voltar
Pelas ruas do Recife todo ano tem
Quatro dias de folia e alegria tem
Pra mostrar que frevo e animação
Marcam passo no compasso
Do mesmo cordão
Quem não dança bate palmas
Pra quem desfilar
Bate bumbo e bate-bate de maracujá
Tem maracatu e bumba meu boi
Quatro espadas no reizado todo mundo foi
Tem um corso entre cores e sombrinhas
La vem as pastorinhas o canto é geral
No clube a noite a primeira mascarada
Pode ser a namorada desse carnaval
La pras tantas o dia já nascendo
O frevo já morrendo e ninguém quer descansar
Mas no domingo pra satisfação do povo
Tudo começa de novo e o frevo vai voltar

Voltar

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

2. Frevo nº1 do Recife – Frevo nº3 do Recife - Evocação
(Antonio Maria - Nelson Ferreira)

ôôôô
Saudade, saudade tão grande
Saudade que eu sinto
Do clube das Pás do Vassouras
Passistas traçando tesouras nas ruas repletas de lá
Batidas de bombo são maracatus retardados
Chegando a cidade cansados
Com seus estandartes no ar
Não adianta se o Recife está longe
E a saudade é tão grande
Que eu até me embaraço
Parece que eu vejo
Walfrido Cebola no passo
Haroldo, Padilha, Colaço
Recife está perto de mim
Parece que eu vejo
Walfrido Cebola no passo
Haroldo, Padilha, Colaço
Recife está perto de mim
Recife mandou me chamar
Capiba e Zumba a essa hora onde é que estão
Inês e Rosa em que reinado reinarão
Acenso me mande um cartão
Rua antiga da harmonia,
Da amizade, da saudade, e da união
São lembranças noite e dia
Nelson Ferreira toca aquela introdução
Sou do Recife com orgulho e com saudade
Sou do Recife com vontade de chorar
O rio passa levando barcaça pro alto do mar
Em mim não passa essa vontade de voltar
Recife mandou me chamar
Capiba e Zumba a essa hora onde é que estão
Inês e Rosa em que reinado reinarão
Acenso me mande um cartão
Rua antiga da harmonia,
Da amizade, da saudade, e da união
São lembranças noite e dia
Nelson Ferreira toca aquela introdução
Filinto, Pedro Salgado, Guilherme Fenelon
Cadê seus blocos famosos
Bloco das flores, andaluzas, pirilampos, apois fum
Dos carnavais saudosos
Na alta madrugada
O coro entoava
No bloco a marcha regresso
Que era um sucesso
Dos tempos ideiais
Do velho Raul Moraes
Adeus, adeus minha gente
Que já cantamos bastante
Recife adormecia
Ficava a sonhar
Ao som da triste melodia

Voltar

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


3. Coisa da Gente
(Waltinho- Roberto Andrade – Sérgio Andrade)

Pula, pula, pula que este frevo quente
Vai mostrar pra gente o que é carnaval
Já posso adiantar que a coisa é muito boa
E não foi à toa que eu vim cantar
Pula, pula, pula com seu corpo quente
Bem descontraída, coisa natural
A rua assim tem vida e viva essa menina
que me vem tão linda e Olinda é carnaval
Carnaval legal, carnaval legal
Vem fazer o passo, e rolar e cantar
Que Olinda é carnaval
Carnaval legal, carnaval legal
Vem fazer o passo, e rolar e cantar
Que Olinda é carnaval
Pula, pula, pula que este frevo quente
Vai mostrar pra gente o que é carnaval
Já posso adiantar que a coisa é muito boa
E não foi à toa que eu vim cantar
Pula, pula, pula qom seu corpo quente
Bem descontraída, coisa natural
A rua assim tem vida e viva essa menina
que me vem tão linda e Olinda é carnaval
Carnaval legal, carnaval legal
Vem fazer o passo, e rolar e cantar
Que Olinda é carnaval
Carnaval legal, carnaval legal
Vem fazer o passo, e rolar e cantar
Que Olinda é carnaval

Voltar

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

4. Aquela Rosa
(Geraldo Azevedo – Carlos Fernando)

Aquela rosa que você me deu
Faz hoje um ano ainda não morreu
Cultivo ainda no jardim dos amores
Com as outras flores que você me deu
Lembro-me bem quando o bloco passou
Você sorrindo jogou aquela flor
Eu que na hora um violão tocava
Lhe joguei um beijo e suspirei de amor
Deste um adeus e teu bloco sumiu
Meu coração acelerou quase partiu
Pensei comigo vai ser minha amada
Minha namorada, meu divino amor
Você cantava no bloco das flores
Tocava eu no bloco dos amores
Na quarta-feira ficou um só bloco
Faz um ano hoje dura o nosso amor
Deste um adeus e teu bloco sumiu
Meu coração acelerou quase partiu
Pensei comigo vai ser minha amada
Minha namorada, meu divino amor
Você cantava no bloco das flores
Tocava eu no bloco dos amores
Na quarta-feira ficou um só bloco
Faz um ano hoje dura o nosso amor
Minha namorada, meu divino amor
Faz um ano hoje dura o nosso amor.

Voltar

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

5. Pitomba, Pitombeira
(Paulo Fernando)

Olaolô, morena flor de cheiro
Sai dessa roda e quebra esse cordão
Te dou um doce, um cacho de pitomba
Vem pro meu lado e sai da contra-mão
Vim do Recife pra ver Pitombeira
No mesmo compasso, poeira, carreira
Menina do passo, queimada de sol
Pandeiro na mão, estrela do norte, areia do mar
Olinda mandou me chamar
É talco, é banho, é carreira
No Carmo, na Sé, na Ribeira
Olhando teus olhos me perco e esqueço até do jantar.

Voltar

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

7. Viva o Recife
(Sergio Andrade - Zezinho Franco)

O Recife acordou deu bom dia
Encontrou todo o povo nas ruas
Nas pontes, nas praças, se amando
Se encontrando com alegria
No eterno gingado de frevo, ciranda e baião
Batida de coco, maracujá e limão
Vem, vem, vem fazer parte deste cordão
Recife tem um lugar pra você dentro do coração
O Recife acordou deu bom dia
Encontrou todo o povo nas ruas
Nas pontes, nas praças, se amando
Se encontrando com alegria
No eterno gingado de frevo, ciranda e baião
Batida de coco, maracujá e limão
Vem, vem, vem fazer parte deste cordão
Recife tem um lugar pra você dentro do coração

Voltar

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

8. Hino do Elefante de Olinda – Bloco da Vitória – Hino da Pitombeira
(Nigro e Clóvis Vieira - Nelson Ferreira - Alex Caldas)


Ao som dos clarins de Momo o povo aclama com todo ardor,
O Elefante exaltando as suas tradições, e também seu esplendor.
Olinda, este meu canto foi inspirado em teu louvor,
Entre confetes, serpentinas venho te oferecer com alegria o meu amor.
Olinda, quero cantar a ti esta canção, teus coqueirais, o teu sol, o teu mar,
Faz vibrar meu coração de amor a sonhar, minha Olinda sem igual,
Salve o teu Carnaval!
O Bloco da Vitória está na rua desde que o dia raiou
Vem ó minha gente, prô o nosso cordão
Que a hora da virada chegou ! Ô... Ô ... Ô ... Ô...
Quando o povo decide cair na frevança não há quem dê jeito
Aguenta o rojão, ficar sem comer
Mas, no fim. Ei ! Tá tudo ok !
Neste Carnaval, Quá! Quá! Quá! Quá!
O prazer é gargalhar e com bate-bate de maracujá
A nossa vitória, vamos festejar
Nós somos da Pitombeira não brincamos muito mal,
Se a turma não saísse não havia carnaval
Se a turma não saísse não havia carnaval
Bate-bate com doce, Eu também quero, Eu também quero, Eu também quero.
Bate-bate com doce, Eu também quero, Eu também quero, Eu também quero.
Bate-bate com doce, Eu também quero, Eu também quero, Eu também quero.
Bate-bate com doce, Eu também quero, Eu também quero, Eu também quero.
A Turma da Pitombeira na cachaça é a maior,
Se o doce é sem igual como ponche é ideal
Se a turma não saísse não havia carnaval.
Bate-bate com doce, Eu também quero, Eu também quero, Eu também quero.
Bate-bate com doce, Eu também quero, Eu também quero, Eu também quero.
Bate-bate com doce, Eu também quero, Eu também quero, Eu também quero.
Bate-bate com doce, Eu também quero, Eu também quero, Eu também quero.

Voltar

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


9. Hino dos Batutas de São José
(João Santiago)


Eu quero entrar na folia meu bem
Você sabe lá o que é isso
Batutas de São José
Isto é parece que tem feitiço
Batutas tem atração que
Ninguém pode resistir
Um frevo deste que faz
Demais a gente se divertir
Deixa o frevo rolar
Que eu só quero saber
Se você vai ficar
Ai meu bem sem você
Ah, não há carnaval
Vamos cair no passo
E a vida gozar
Deixa o frevo rolar
Que eu só quero saber
Se você vai ficar
Ai meu bem sem você
Ah, não há carnaval
Vamos cair no passo
E a vida gozar

Voltar

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


11. Lua Nossa
(Waltinho – Roberto Andrade)

Lua mora onde o coração mandar
Faz a hora de dois que vão namorar
Lua convoca, lua na toca
Forra o chão do carnaval
Lua mora onde o coração mandar
Faz a hora de dois que vão namorar
Lua convoca, lua na toca
Forra o chão do carnaval
Vamos peneirar o grão de areia
Guardar um pouquinho deste chão
E dizer pra lua que norteia
Os princípios de um coração
Que seja madrinha deste amor
Que nasceu num lindo carnaval
Coloridas serpentinas vida
Desfilando formam um mural
Cada fantasia é uma história
Passagem de moça toda glória
Foliões abraços na avenida
Procurando amor, a lua, a vida
Lua mora onde o coração mandar
Faz a hora de dois que vão namorar
Lua convoca, lua na toca
Forra o chão do carnaval
Lua mora onde o coração mandar
Faz a hora de dois que vão namorar
Lua convoca, lua na toca
Forra o chão do carnaval
Cada fantasia é uma história
Passagem de moça toda glória
Foliões abraços na avenida
Procurando amor, a lua, a vida

Voltar

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


13. Nos cabelos da Rosinha
(Capiba)


Rosa, rosa, rosa
Porque você murchou
Nos cabelos de Rosinha
Rosa nunca amarelou
Rosa, rosa, rosa
Porque você murchou
Nos cabelos de Rosinha
Rosa nunca amarelou
Quem visse as duas rosas de manhãzinha
Difícil era dizer qual era a rosa ou a Rosinha
Se a Rosa era bonita mais cheirosa era a Rosinha
Se a Rosa era bonita mais cheirosa era a Rosinha
Rosa, rosa, rosa
Porque você murchou
Nos cabelos de Rosinha
Rosa nunca amarelou
Rosa, rosa, rosa
Porque você murchou
Nos cabelos de Rosinha
Rosa nunca amarelou
Quem visse as duas rosas de manhãzinha
Difícil era dizer qual era a rosa ou a Rosinha
Se a Rosa era bonita mais cheirosa era a Rosinha
Se a Rosa era bonita mais cheirosa era a Rosinha

Voltar

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


14. É de fazer chorar
(Luiz Bandeira)

É de fazer chorar
Quando o dia amanhece
E obriga o frevo a acabar
Óh quarta-feira ingrata
Chega tão depressa
Só pra contrariar
É de fazer chorar
Quando o dia amanhece
E obriga o frevo a acabar
Óh quarta-feira ingrata
Chega tão depressa
Só pra contrariar
Quem é de fato
Um bom pernambucano
Espera um ano
E se mete na brincadeira
Esquece tudo quando cai no frevo
E no melhor da festa vem a quarta-feira

Voltar